Buscar Serviços


De volta ao passado

25 de abril de 2013

Passeio de Maria Fumaça permite reviver histórico trem na Serra Gaúcha.

Fotos: Internet

No filme “De volta para o futuro”, o cientista Dr. Emmett Brown criou uma máquina que volta no tempo. A ficção ganha contornos reais quando nosso destino é a Serra Gaúcha. Por Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa se estendem os trilhos que nos levam a uma viagem em outra máquina que nos faz reviver o passado. É o passeio no trem Maria Fumaça.

São 23 quilômetros de percurso entre as três cidades. O comerciante de Brasília, Pedro Henrique Azevedo, foi um dos que embarcou nesta viagem no tempo. Para ele, o passeio foi marcante para compreender como as pessoas viajavam em uma época áurea do transporte ferroviário. “A gente pensa que é um passeio desconfortável, mas não é”, revela. O conforto é justamente uma das características do trem. Todos os assentos são estofados. Janelas amplas permitem apreciar a paisagem ao longo do caminho. Para não perder nenhum detalhe, cada vagão conta com um guia turístico, que transmite informações históricas sobre os municípios por onde passa o trem. 

Reviver o Maria Fumaça faz com que as pessoas cruzem um paralelo com o transporte ferroviário atual. A contadora Patrícia De Cezare, moradora de São Paulo, afirma que o trem da capital paulista é “superapertado”, reflexo do grande número de passageiros que utilizam o serviço em qualquer grande metrópole do Brasil. Sobre o passeio de Maria Fumaça, Patrícia classifica como “superinteressante”, destacando os shows de música gaúcha e italiana, que acontecem nas estações de Garibaldi e Carlos Barbosa.  

Os embarques acontecem tanto em Bento Gonçalves quanto em Carlos Barbosa. A agência responsável pelo tour fornece transporte de ônibus para que o passageiro possa retornar ao local de partida do Maria Fumaça. O passeio dura em média uma hora e meia. Durante o trajeto, grupos folclóricos percorrem os vagões cantando e dançando músicas típicas italianas. Também são oferecidas degustações de vinho na Estação Ferroviária de Bento Gonçalves e de suco de uva e espumante na estação de Garibaldi.

O histórico trem Maria Fumaça puxa até seis vagões. Ele trafega a uma velocidade de 20 a 30 quilômetros por hora. A locomotiva a vapor era o modelo mais popular até o final da Segunda Guerra Mundial. O vagão-reboque da locomotiva transporta lenha e água, necessários para a alimentação da máquina, que funciona com a pressão do vapor. No Brasil, essas locomotivas receberam o apelido de “Maria Fumaça”, por causa da densa nuvem de vapor e fuligem expelida por sua chaminé.

Quem quiser embarcar nessa inesquecível viagem deve reservar seu lugar com antecedência. Os passeios são realizados nas quartas-feiras, sábados e domingos. Dependendo da procura, há saídas extras em outros dias. Muito mais que um passeio, andar de Maria Fumaça é uma viagem no tempo. 

 


Compartilhar

Classificar


Comentários

Comentar