Buscar Serviços


Adulto também brinca no barro

02 de janeiro de 2013

Trilhas de jipe acontecem durante a primavera, nos municípios de Picada Café e Linha Nova.

Fotos: Internet

A Rota Romântica também poderia ser conhecida como a rota da aventura. Durante a estação das flores, a região é sede de duas trilhas que atraem os amantes do off road. No lugar do asfalto, muita lama e adrenalina. Em busca dessa emoção, centenas de jipeiros invadem Picada Café e Linha Nova neste período.

Imaginem enfrentar a mata fechada, aclives e declives, açudes, passagens de córregos, erosões, trechos sinuosos entre árvores e muito barro. Durante o dia, já é uma tarefa complicada. E à noite, como seria? É justamente esse desafio que os jipeiros enfrentam na Trilha Noturna de Picada Café, que esse ano chegou a sua nona edição. O inusitado desafio aconteceu no dia 5 de outubro, com a lua cheia de testemunha. Alexandre Werle, um dos organizadores, explica que a trilha se torna mais difícil durante a noite, pois exige mais atenção dos participantes. “Você nunca sabe o que tem a sua frente e ao seu redor. Então, a adrenalina aumenta e a diversão flui.” 

Ao todo, o percurso tem 24 quilômetros. A trilha é toda sinalizada com placas e fitas. Tratores e retroescavadeiras auxiliam os jipes que enfrentam dificuldade para vencer algum dos obstáculos. A recepção dos participantes aconteceu no início da noite, em um posto de gasolina, bem no centro de Picada Café. Por volta das oito da noite foi dada a largada. A organização projetou em torno de 90 jipes na trilha deste ano. Os participantes inscritos ganharam lanternas para auxiliar na escuridão. “O jipeiro sempre procura superar seus limites, passar por lugares onde qualquer outro carro não passe. Ser jipeiro é uma filosofia de vida”, garante.

No dia 10 de novembro, é a vez dos 4x4, veículos com tração nas quatro rodas, invadirem Linha Nova. O pequeno Município abriga muitos desafios naturais, que seduzem os apaixonados por aventuras fora da estrada. O nome da trilha é Neuschneiss, em alusão ao nome da cidade em alemão. A trilha se desenvolve no meio da mata, com descidas e subidas. Passa por açudes, banhados, pedras e muito barro. De acordo com jipeiro Christian Albers, a principal dificuldade é quando chove.  “Em uma das edições, os participantes enfrentaram muita chuva que chegou a 80 mm em duas horas. A trilha virou um arroio”, conta. Nenhum problema para quem está acostumado a encarar muita lama. Além dos jipes, os gaiolistas também se aventuram no lodo. As gaiolas são veículos motorizados muito utilizados nas trilhas. “Da criança para o homem, muda apenas o tamanho do brinquedo”, garante Christian, que também é um dos organizadores. 

O percurso tem entre 25 a 30 quilômetros de extensão. A largada acontece às 10 horas, no Clube Progresso em Linha Nova. O evento é realizado pelo grupo Sócios da Lama.


Compartilhar

Classificar


Comentários

Comentar