Buscar Serviços


Delícias na estrada

20 de dezembro de 2012

Tendas oferecem uma diversidade de produtos para quem visita a Rota Romântica.

Fotos: Internet

Quem sobe ou desce a Serra Gaúcha pela Rota Romântica pode desfrutar de inúmeras delícias à beira da estrada. Frutas, verduras, produtos coloniais e até pão quentinho são vendidos neste comércio pitoresco, que gera emprego e renda para as famílias da região. A reportagem do Portal Verdeperto Lugares foi conhecer algumas dessas tendas. Aproveite as dicas e faça sua viagem mais gostosa.

 

Época de pinhão

Semente da araucária, o pinhão é muito comum na região. Com alto valor nutricional, o fruto é comercializado em banquinhas, que no período da colheita, multiplicam-se pelo caminho. Na maioria das vezes, ele é catado no mato, depois que as pinhas amadurecem e explodem. Alex Sandro Cardoso, de 28 anos, colhe os pinhões para vender na beira da RS-235, em Gramado. O viajante pode comprá-lo in natura ou cozido na hora, no próprio local. Como a maioria dos vendedores, Alex faz o cozimento em uma panela grande, aquecida por um fogo de chão. A ideia é atiçar o apetite do cliente, que “pode ir fazendo uma provinha pelo caminho”.

De acordo com o vendedor, alguns turistas de outros Estados, quando passam pela tenda, confundem o pinhão com a castanha. “Eles provam e acham uma delícia. Acabam levando”. Além de trabalhar na banca, Alex Sandro é jardineiro e servente de obras.

 

Frutas: direto do produtor

A Kombi do produtor rural Harry Peiter está sempre carregada de frutas e vegetais. Aos sábados, domingos e feriados, ele estaciona seu veículo em uma curva do km 187 da BR-116, bem na divisa de Nova Petrópolis com Picada Café, e ali vende laranja, bergamota, batata, feijão e muito mais. Cerca de 90% do que comercializa é produzido por ele. O abacaxi, que prefere um solo mais arenoso, é a principal exceção. Peiter admite que compra algumas frutas para “enfeitar a tenda”. Uma estratégia de venda, para quem sabe que também comemos com os olhos.

Descendo a Serra em direção à Região Metropolitana, a técnica de enfermagem Liliane Colling parou na banca para adquirir laranjas. Ela acha “mais saudável comprar frutas diretamente do produtor”. E tem razão.

Durante a semana, Harry Peiter vende seus produtos em cooperativas e de casa em casa, em Picada Café. Nos finais de semana, toda a família o acompanha em sua jornada.

 

Tenda do seu Guido

Muita variedade. É isso que o viajante que passa no Km 205 da BR-116, em Picada Café, encontra na tenda do produtor Guido Metz. Verduras bem fresquinhas, colhidas logo pela manhã, frutas e legumes diversos. “As pessoas que param aqui ficam surpresas com a variedade de produtos que temos”. E não é para menos. A tenda tem até um fogão a lenha que, durante o inverno, serve para aquecer o ambiente e também para cozinhar o pinhão.  A banca abre sexta, sábado e domingo. Plantar, colher e vender é a principal atividade de Guido, que trabalha ao lado da esposa. Todas as verduras e 70% das frutas comercializadas são produzidas pela família. Guido diz que têm fregueses há 30 anos. “Tem cliente que cruza a estrada uma vez por ano e uma vez por ano para aqui”, diz com orgulho.

 

Orquídeas do casal Robinson

O comércio de plantas e flores é tradicional na Rota Romântica. No km 191 da BR-116, em Picada Café, é possível comprar orquídeas do simpático casal Nelson e Lonni Robinson, ambos de 77 anos. A banca oferece variedades da flor, com preços que variam entre R$ 25,00 e R$ 50,00.  Seu Nelson planta orquídeas há quatro décadas. Ele conta que o segredo para ter uma boa planta é “não molhar demais e adubar bem”. A tenda funciona aos sábados e domingos. As orquídeas do casal Robinson são plantadas na propriedade deles, em Nova Petrópolis, e levam de seis a sete anos para ficar adultas.

 

Pão quentinho feito no forno à lenha

Pão de milho quentinho saído do forno à lenha. Esse é o segredo da Tenda Rodeio, em Presidente Lucena, estar sempre com movimento de fregueses. Aos domingos, o estabelecimento chega a produzir oito fornadas, que rendem em torno de 250 pães. A massa é preparada por Liane Schmitt, que não tem dúvida ao afirmar: o que faz a diferença mesmo é o forno à lenha. Além dos pães, a tenda vende cucas e outros produtos coloniais, como schmier, melados, queijos, salames e rapaduras. Destaque para a schmier de morango, que é a mais vendida. Uma dica: passar a schmier de morango no pão de milho. Fica arrasador. Também dá para fazer uma “boquinha” no meio da viagem. Aos domingos, é servido bolinho de batata feito na hora, de dar água na boca.


Compartilhar

Classificar


Comentários

Comentar