Buscar Serviços


Bailado de caniços

09 de janeiro de 2015

Atração do Litoral Norte, pesca da sardinha atrai veranistas na ponte sobre o Rio Tramandaí.

Fotos: Internet

Uma das cenas clássicas do litoral gaúcho é a pesca da sardinha na ponte que liga Tramandaí e Imbé. Principalmente no verão, o local recebe inúmeros pescadores, revelando um curioso bailado de caniços sobre a ponte. O inusitado é que as sardinhas são atraídas pelo simples brilho do anzol, dispensando o uso de isca. Quiosques alugam e vendem caniços a preços baixos, o que ajuda a levar mais visitantes ao local. Perto da ponte, há diversos píeres onde os pescadores jogam suas tarrafas e carretilhas no Rio Tramandaí. Se a maré tiver pra peixe, o pescador pode fisgar bagres, tainhas, corvinas, entre outros. 

Mas não é só a tradicional ponte que atrai pescadores no litoral. Em lugar do banho de mar, há veranistas que vão para praia passar o tempo pescando. Durante a temporada de verão, quando as areias ficam tomadas de banhistas , é pela manhã bem cedinho ou no final de tarde que os pescadores tentam a sorte no mar. O ritual é sempre o mesmo. Iscar o anzol e jogar a linha na água para tentar fisgar algum peixe. O lazer restrito ao verão para alguns é estendido pelas quatro estações para outros. É o caso do empresário Cilon Oliveira, de Porto Alegre. Ele costuma ir ao litoral com frequência para pescar e diz que o lazer é uma terapia. “A sensação de fisgar um peixe grande é indescritível. É muita emoção”, revela o pescador das horas vagas.

Além da pesca na faixa de areia, existem três plataformas no litoral gaúcho, especialmente voltadas para a prática da pesca. Elas estão localizadas nas praias de Cidreira, Tramandaí e Atlântida. As estruturas se estendem por 500 metros mar adentro, facilitando a vida do pescador. 


Compartilhar

Classificar


Comentários

Comentar